O que significa M.E.S para a indústria?

Muito tempo depois aprendi que o nome dado ao produto pelo mercado era M.E.S. – Manufacturing Execution Systems, mas isto a DEZ ou mais anos após fazer parte do projeto de criação de uma solução M.E.S, talvez uma das primeiras ou a primeira do Brasil!

O Controle da Produção em Tempo Real, este foi o nome original, hoje chamamos simplesmente de M.E.S., expressão usada para sistemas que objetivam o gerenciamento dos eventos da produção ao vivo e que fazem o encontro entre o planejamento da produção e o que de fato acontece ali no chão de fábrica. Os sistemas M.E.S. trazem dados precisos e no “real time” que permitem, pela visão ao vivo dos fatos da produção a otimização de todas as etapas desta, desde a emissão da ordem até o embarque dos produtos finalizados.

Havia um vácuo nos ERP´s, melhor ainda, há um vácuo nos ERP´s atuais entre o que se planeja para as ordens de fabricação no chão de fábrica e o que de fato ocorre com elas. O M.E.S. veio para cobrir esta lacuna, na grande maioria dos casos são mais um “novo software conectado ao ERP”, aqui no Integrum ele é nativo no módulo de Manufatura, e que permite, pelo acompanhamento das Ordens de Fabricação em tempo real, uma visão muito mais realista do que ocorre lá na produção, acessível de qualquer lugar a quem a empresa deseje exibir tais dados.

Viver a experiência da fábrica ao vivo entrega aos gestores, às equipes de PCP´s e aos departamentos comerciais uma nova visão do que está ocorrendo ali onde se agrega o verdadeiro valor ao produto. Esta visão ao vivo, da fábrica, entrega uma série de vantagens aos que lidam com M.E.S. no dia a dia, eis algumas delas:

  • Identificação de gargalos da produção;
  • Apoio à manufatura enxuta e a melhoria contínua;
  • Localização dos pedidos em tempo real – apoio direto ao comercial que passa a ter informações precisas de seus pedidos e respostas imediatas aos seus clientes;
  • Melhoria na confiabilidade do produto acabado pelo aperfeiçoamento do controle de qualidade;
  • Visão clara, precisa e inequívoca do custo do produto fabricado/vendido;
  • Sincronização da produção com a cadeia de suprimentos;
  • Redução de lead-times;
  • Aperfeiçoamento dos níveis de atendimento dos prazos de entregas;
  • Otimização das diferenças de inventários;
  • Redução de estoques;
  • Melhoria da produtividade da fábrica;
  • Redução de quebras e aumento de disponibilidade dor recursos de e equipamentos da fábrica;
  • Redução dos setups;
  • Redução das perdas de materiais;
  • Redução dos custos de produção.

Na prática, nos raríssimos casos em que o M.E.S. faz parte nativa do ERP, eis algumas das funções que estes devem ter:

  • Nos ERP´s que não possui o M.E.S. nativo, a importação de dados do ERP como BOM´s (bill of materials), recursos de fábrica, estoques, controles de qualidade, operadores entre outros;
  • Listas de separação de materiais para suporte as OF´s geradas quando o ERP não os possuir;
  • Dados informacionais de qualidade, instruções de trabalhos para os recursos/células produtivas seguindo prioridades como data de entrega dos pedidos e/ou outros critérios personalizáveis;
  • Capacidade de coletar dados por diversos e diferentes dispositivos no chão de fábrica;
  • Instruções para reposição de materiais na produção;
  • Capacidade de análises de dados advindos do controle dos eventos da produção ao vivo e mostrando pontos críticos do processo como restrições e atrasos, além de:
    • Desempenho do operador;
    • Desempenho do recurso;
    • OEE (Overall Equipment Effectiveness) Eficiência Global da Produção;
    • CEP (Controle Estatístico de Processos), entre outros.
  • Aquisição de dados da qualidade, tanto do processo quanto do produto em tempo real e a exibição qualificada destes dados coletados;
  • Quando não nativo no ERP, a devolutiva de dados necessários ao funcionamento do ERP para fins de controle de estoques, consumos e faturamento dos bens fabricados, entre outros tantos.

P.S. – Nossa história com o M.E.S. teve início em 1990, antes mesmo de constituirmos a Integrum, onde eu, recém-formado em eletrônica, participei como técnico do projeto de implementação do controle de produção na Calçados Via Marte, o das “garotas do Brasil”, numa época que não tínhamos redes corporativas, não tínhamos wifi, e sequer coletores de dados portáteis disponíveis no Brasil ou leitores óticos “ali na lojinha”. Então, através de uma rede de dados RS 232C, muito arcaica, passamos a controlar em tempo real a produção da filial 1 da empresa, em seis e depois 11 pontos de leitura, algo impensado naquela época. Depois, depois só evoluímos em nossa visão e soluções para gestão da produção e das indústrias.


Quer superar e vencer O Desafio? Então, conheça a INTEGRUM

Paula Denise Carlos – comercial@integrum.inf.br

(51) 3527-6619 / (51) 9 8409-5612

Pedro Moacir Joazeiro

Sobre Pedro Moacir Joazeiro

O Pedro por essência é um empreendedor, com formação em eletrônica, fundou sua empresa com 23 anos (e lá se vão quase 30 anos de casa). Possui profundo conhecimento das demandas de Clientes de softwares de Gestão Empresarial brasileiros (ERP´s), e as expectativas destes clientes quanto a serviços, produtos e padrões de atendimento na pré e pós-implantação destes. Conhecimentos adquiridos por mais de 30 anos como profissional/empresário da área de Tecnologia da Informação e foco na indústria. Possui qualidades organizacionais e capacidade para liderar equipes de trabalhos e suas relações, tanto com a carteira de Clientes, sincronizando necessidades e gerenciando sinergias entre as áreas operacionais do negócio e o Cliente quanto equipes dos clientes ao oferecer soluções para as organizações industriais em todas as áreas de gestão do negócio. Adquiriu conhecimentos avançados em análise de sistemas computacionais diante da atuação direta na liderança da equipe de desenvolvimento do ERP Integrum, especialmente nos últimos 12 anos.